quarta-feira, 31 de março de 2004

Epa, isto passou por aqui um vento auspicioso...

O ponta já faz crónicas das aulas, o djanga deu-lhe um vaipe
...
The Theory of Everything

A physicist explains how superstring theory fits into science's ultimate goal of unifying quantum theory and relativity.

By Dr. Michio Kaku

The greatest ideas in science unify vast amounts of knowledge about our universe. Some of them include:

Quantum theory, which gives a comprehensive understanding of the atomic and molecular world, helping us to understand stars, energy, matter, etc.

Relativity theory, which gives a comprehensive understanding of the cosmos, including the big bang and black holes.

The DNA theory of life, which gives us a comprehensive way in which we understand the evolution of all life on earth.

The Chalenge of unification

Together, relativity and quantum theory summarize the sum total of all physical knowledge at a fundamental level. The greatest challenge today is to find a theory which can unify the quantum theory with relativity. Finding such a theory is the thrust of my work.

Such a unification would be the crowning achievement of all science, giving us a theory of everything. The best (and only) candidate today is called string theory, which states that all matter is nothing but vibrations of a superstring vibrating in 10 dimensions.



...10 dimensões...

terça-feira, 30 de março de 2004

Timing...

O mais difícil na vida não é mudar é saber quando fazê-lo.

E se for hoje o dia e eu deixá-lo passar? Se for esta a oportunidade de melhorar?

E se o tempo se esvair completamente antes que eu saiba...

...QUANDO?

O fabuloso sistema de ensino de Portugal

Neste momento estou numa importantíssima aula de Programação II, e como devem imaginar, decidi vir até aqui porque não se está a fazer nada... A aula são duas horas e não vejo o prof. à 45 minutos, isto é, tá à porta da sala ao telémovel a combinar transações de bolsa. Agora estava a fazer umas continhas, pago 250€ mês nesta merda desta faculdade, o cabrão do prof. ganha 225€ hora, e saio daqui como se não tivesse entrado, quer dizer, mais pobre, em todos os sentidos, com a carteira mais leve (- €) e sem ter aprendido nada. Bem sempre aprendi qualquer coisa, a gaja aqui do lado acabou de ilucidar que é completamente cega, tem 6.5 e 7.2 de graduação em cada lente ( coisa que já desconfiava, é que olhando para ela os olhos ficam do tamanho das lentes, e os oculos já têm um tamanho acima do normal). Mais 10 minutos passaram e continua ao telefone, agora acompanhado de um cigarrinho, cabrão do gajo. A merda é que se um gajo vai reclamar ou fazer queixa do gajo fica queimado pra sempre, nunca mais faz esta merda desta cadeira na vida, a não ser que seja vedade o que está escrito nas carteiras de tabaco e o gajo bata a bota nos próximos 45 minutos de aula. Fdx, houve um cabrão que acabou de dar largas ao seu intestino, porra... aquilo deve tar morto lá dentro, até me faz lembrar o badalo... Bem, tou farto, vou pró café me instruir, lá pelo menos fico a saber as novidades do mundo futebolistico e sempre aproveito para ver como a primavera é linda (as mulheres começam a se descascar). Um abraço e desculpem lá esta crónica em directo de uma sala de aulas.

Last night I dreamt that somebody loved me

Last night I dreamt
that somebody loved me
no hope - but no harm
just another false alarm
Last night I felt
real arms around me
no hope - no harm
just another false alarm
so, tell me how long
before the last one?
and tell me how long
before the right one?
this story is old - I KNOW
but it goes on
this story is old - I KNOW
but it goes on

(Morrissey)

Mas, enfim, foi só mais um sonho...

segunda-feira, 29 de março de 2004

Chinatown

Revi-o este fim de semana. É um daqueles filmes. Para ver e rever sempre que se puder.

GITTES : Mulvihlll, what are you doing here?

(MULVIHILL stares at Gittes with unblinking eyes, remains by the desk)

MULVIHILL : They shut my water off, what's it to you?

GITTES : How'd you find out? You don't drink it, you don't take a bath in it, maybe they sent you a letter. Ah, but then you'd have to be able to read.

Lindo.

domingo, 28 de março de 2004

Em Abril, KILL BILL.

O 2, mais precisamente a 29 de Abril. Esta sim, uma boa notícia.

Não há duas sem três...

Depois da fugitiva "Enfª Moldava" - que diga-se de passagem, nunca compareceu à bicalhada e serralhada - da Tia Clementina- que esperemos que nos visite brevemente, surgiu mas uma: "A Xavelha sem Dentes". De modo a que as coisas surgam em 4ª fundo, a nossa nova amiga poderá ultrapassar qualquer rival. Este pedido veio dos ventos de Gaula no passado sábado (28/3).

Pois é, ontem estivemos em duplas/triplas: Socialistas e Independentes governamentais, estiverem a deliberar sobre os destinos da nossa terra. No novo bar africano da regiao - "Jama" e com a presença de outro peso-pesado, digamos que não surgiu nenhuma resolução, apesar do tempo despendido (6 da matina).

Antes porém e em estreita comunicação com a nossa delegação em Lx, estivemos a ponderar outros pontos de vistas. É verdade, aquela Velha Guarda, esteve em forma. Armaram os cavalos, limparam as armas e forem à luta. Não sabemos quantas vitimas teve este investida, mas pensamos que boas colheitas tiveram os nossos representantes...

Não sabemos das outras frentes de combate, mas esperamos brevemente por saber onde andarem os outros compatriotras.

Com elevada consideração,

Mantanruak

Vocês sabem lá o que é uma festa...

sexta-feira, 26 de março de 2004

Contra Dicções I

"Gabriel Farinha, presidente da C.M. Porto Moniz, criticou, anteontem notícias vindas a público, que referiam qua a água distribuida ao domicílio no Porto Moniz, não era de boa qualidade, segundo dados de 2002" In DN Madeira 25-03-2004

"Dezenas de crianças foram atendidas, durante a última semana, nas urgências do Centro de Saúde do Porto Moniz para tratar sintomas semelhantes: vómitos e diarreia. Suspeita-se que o mal seja causado pela má qualidade da água, mas a tese não tem confirmação e a origem pode ser bem diversa." In DN Madeira 25-03-2004

quinta-feira, 25 de março de 2004

Tenho um problema. Em tudo o que faço sou um desorganizado. Na minha vida pessoal pode não se notar muito, mas na profissional é um descalabro. A minha secretária é um autêntico amontoado de papéis. Demoro séculos para encontrar um documento. Só se safa o computador que é grande o suficiente, para não ficar soterrado em papéis. Mesmo assim, nem o ambiente de trabalho do computador escapa. Nas reuniões que vou, vejo toda a gente tirar apontamentos e estes a serem escritos todos ordenadinhos em bonitos cadernos. Eu, por vezes, nem um caderninho levo.
Já na escola era a mesma coisa. No princípio esforçava-me para ter os cadernos organizados. Passava a limpo em casa e tudo. Começava bem. O problema é que a meio do semestre já não tinha paciência. E no fim acabava, por ter folhas aqui e ali, matérias diferentes no mesmo caderno, ou seja, uma completa desorganização. Sinceramente, olhando para trás, não sei como conseguia estudar pelos meus apontamentos.
O pior disto tudo, é que não tenho emenda. Tenho-me safado sempre. Encontro sempre o que preciso. Faço sempre as coisas a tempo. E nunca aconteceu nada que me possa fazer parar e pensar: “Bem, meu caro, o melhor é começares a organizares-te.” Não, nem por sombras. Tudo corre sempre às mil maravilhas. Mas até quando? Até quando, é que não vou ser traído por esta desorganização? Será que a minha sorte não tem um limite? Bem, honestamente, não sei e tenho algum medo.

MEC disse...

“Que sentido faria a morte nesta vida se não fosse também o fim de todas as nossas infelicidades?”

Será? É bem visto. E a felicidade fica ou também é o fim?

Na ALRM com...

Eu não tenho por hábito me imiscuir no trabalho dos outros, no entanto, sinto-me na obrigação de tecer uma crítica à sessão plenária de quarta-feira dia 24 de Março de 2004 que teve a seguinte ordem de trabalhos:
1º Projecto de resolução do PSD que visa persuadir todas as instituições e serviços do Governo da República a hastear a bandeira da Madeira nas instalações existentes na Região;
2º Projecto de resolução da UDP a recomendar ao Governo a realização de um inquérito para averiguar as causas da derrapagem financeira no Parque Temático de Santana;
3º Projecto de resolução da UDP sobre o subsídio de penosidade e risco para os trabalhadores dos matadouros;
4º Voto de protesto do PCP relacionado com os índices de contaminação da água na Região;
5º Voto de pesar pela morte do padre Joaquim Fernandes.

Depois de muita masturbação mental e diarreia verbal as conclusões a que chegaram os nossos magníficos deputados foram:

1º Todos concordaram (Menos PCP/PEV que se abstiveram) que as bandeiras são um assunto importantíssimo para a região e votaram a favor. Agora sim podemos nos considerar madeirenses de pleno direito sabendo que na fortaleza do pico irá ser desfraldada a bandeira da região. Não fossem os turistas que nos visitam pensar que estamos em território português...
2º Inviabilizado pelo PSD. Pensamento de um deputado PSD:
"Parque temático? Ah, é o parque jurássico criado para os dinossauros da política que já foram e para os que serão saneados na próxima legislatura. Derrapagem? Deve ser uma pista de trial do deputado TT. Aquele 'ganda maluco' andou outra vez a fazer das suas! Não vale a pena discutir isto! Perto da hora de almoço e tudo..."
3º Desistência da resolução por parte da UDP, o que é compreensível uma vez que os trabalhadores de matadouros trabalham cada vez mais no exterior perseguindo bovinos em fuga.
4º Inviabilizado pelo PSD. Não se discute a qualidade da água na madeira, enquanto cada vez mais se conhecem casos de vómitos e diarreias em crianças e não só. Se calhar a qualidade da água tem sido sempre a mesma, a Brisa Cola é que não deve ter o mesmo efeito intestinal que a Coca Cola.
5º Descanse em paz.

E assim passa mais um extenuante dia de trabalho destes funcionários públicos. Marcada ficou a próxima sessão para 4ª feira dia 30 de Março, porque até lá há muito mastro para erigir e muita bandeira para hastear... Eu, para cumprir com a minha parte, disponibilizo desde já o meu mastro!

quarta-feira, 24 de março de 2004

Rock in Rio? Não me parece...

Benjamin Biolay, !!!, Black Strobe, Colder, Chicks On Speed, David Holmes, Devendra Banhart, Dizzee Rascal, Elbow, Erol Alkan, Franz Ferdinand, James Chance & Contortions, Jason Forrest / Donna Summer, Julie Delpy, Kid606, Liars, Lloyd Cole, Matmos, Miss Kittin, Mudhoney, Nina Nastacia, Numbers, Pixies, PJ Harvey, Plaid, Prefuse 73, Primal Scream, Rhythm & Sound, Scissor Sisters, The Divine Comedy, The Fall, The Glimmer Twins, The Hidden Cameras, The Human League, The Modernist e Wilco. São estes os nomes que farão parte do festival Primavera Sound em Barcelona durante os dias 27, 28 e 29 de Maio. Agora, comparem com os nomes que fazem parte do cartaz do Rock in Rio em Lisboa e digam-me onde - e em que ano - é que andam as mentes brilhantes da organização deste famoso festival? Com este cartaz fortíssimo aqui mesmo ao lado em terra de "nuestros hermanos" e nos mesmos dias, será que a organização continua a pensar nas 100 mil entradas por dia? Por mim, vou para Barcelona. Alguém quer vir?

P.S.: A partir de agora a maior parte dos meus escritos sobre música restringirão-se à minha página pessoal. Para quem não sabe, e estiver interessado, a página fica aqui. Tomei esta decisão por achar que algumas coisas não se enquadravam no âmbito deste blog.

terça-feira, 23 de março de 2004

Foda-se! Parti um dente...

É verdade. E um dos meus dentes mais bonitos. Um dos grandes da frente. Um daqueles que mais orgulho me dava da minha cramalheira. E parti-o. Quer dizer, não partiu totalmente, foi só um bocadinho. Provavelmente se não disser nada a ninguém não se nota. Mas eu sei que já não é a mesma coisa. Estou triste. Maldita costoleta.

Vergonha ou Verdade...

Pois é meus amigos, desde há 3 semanas, que o futebol não é tema de conversa na nossa ilha superior.Andam todos ou quase todos caladinhos(97%), sem manifestar algum desejo de comentar o deporto rei.
Porque será? pergunto eu e os restantes 3%? Será que por causa o clube, perdão, associação de fins privados do almirante reis está em 6ºlugar. Penso que sim, não quero pensar que que seja por causa do Clube Desportivo Nacional. É verdade, o maior das ilhas (diz aquela canção popular fora de moda) está atrás do Nacional. É verdade que o Nacional em 4 participações na 1º divisão, é também verdade que ficou 3 vezes atrás da associação privada. Afinal o domínio não é assim tanto. Se formos ver, o areias, digníssimo presidente da associação uma vez referiu que 97% dos individuos regionais eram dessa mesma associação. Este senhor, esqueceu-se mesmo de dizer, que esse mesmo estudo foi feito,na bacanda central dos Barreiros aquando da realização de um jogo da associação.Por isso mais valia ESTAR CALADO e continuar a engolir as moscas e sapos como faz de costume!!!!!!!!!
Algumas fracções são da opinião que é uma vergonha o mar...(bom nem consigo escrever)estar atrás do Nacional, mas penso eu e muitas mais pessoas, que a verdade desportiva está a ver ao de cima.
Viva a Liberdade!

Comandante Taur Matanruak
(Movimento de Libertação Desportiva Anti-Maritimo)

segunda-feira, 22 de março de 2004

Antes que me esqueça!

Sábado, dia 27 de Março, os New Ord...aham, desculpem, os Loto actuam ao vivo na Valentim de Carvalho do Saldanha Residence pelas 17 horas. Para quem quiser conhecer e estiver por Lisboa, aproveite. É de borla.

E porque não há tempo...

This is no time for celebration
This is no time for shaking heads
This is no time for backslapping
This is no time for marching bands

This is no time for optimism
This is no time for endless thought
This is no time for my country right or wrong
Remember what that brought

There is no time
There is no time
There is no time
There is no time

This is no time for congratulations
This is no time to turn your back
This is no time for circumlocution
This is no time for learned speech

This is no time to count your blessings
This is no time for private gain
This is no time to put up or shut up
It won’t no time to come back this way again

There is no time
There is no time
There is no time
There is no time

This is no time to swallow anger
This is no time to ignore hate
This is no time to be acting frivolous
Because the time is getting late

This is no time for private vendettas
This is no time to not know who you are
Self knowledge is a dangerous thing
The freedom of who you are

This is no time to ignore warnings
This is no time to clear the plate
Let’s not be sorry after the fact
And let the past become out fate

There is no time
There is no time
There is no time
There is no time

This is no time to turn away and drink
Or smoke some vials of crack
This is a time to gather force
And take dead aim and attack

This is no time for celebration
This is no time for saluting flags
This is no time for inner searchings
The future is at head

This is no time for phony rhetoric
This is no time for political speech
This is a time for action
Because the future’s within reach

This is the time
This is the time
This is the time
Because there is no time

There is no time
There is no time
There is no time
There is no time

Lou Reed

Trabalho, trabalho e mais trabalho... Ò que vida!

sábado, 20 de março de 2004

"Estádio de leiria...

...o problema das coisas feias"

E remeto-vos para vistasnapaisagem.weblog.com.pt

(o texto e imagem aqui pertinentes aparecem a meio da página)

sexta-feira, 19 de março de 2004

Mas que bonito...

Tomei conhecimento esta tarde dos custos para o país da realização do Euro 2004. 208 milhões de Euros segundo um estudo apresentado pelo Governo. Sendo apresentado pelo Governo os custos reais devem ser à volta de 30 ou 40% superiores, mas isso não interessa por agora.
O que me leva a esta dissertação pelo mundo do futebol, ou da 'bola' como é mais conhecido é o seguinte:
Os iluminados do PS em conjunto com os intelectualmente superiores membros do PSD acharam por bem realizar o Euro 2004 em Portugal. Tudo muito bonito, ainda para mais com a estimativa de receitas inicialmente apresentada pelo Estado. Mas era só a estimativa inicial, porque a meio da grandiosa empreitada, as receitas equiparavam-se às despesas, ou seja ia ficar 'elas por elas'. Agora fez-se luz nas contas governamentais e o Estado Português entrou com 208 milhões de Euros para o Euro. Agora atente-se às receitas estimadas: 71,5 milhões de Euros, ou seja um custo efectivo total de 136,4 milhões de Euros para o país. CUSTO este que estou eu e mais 4 milhões (deve ser +/- a população activa???) a pagar. No entanto segundo aquela senhora das finanças, que nem vou escrever o nome, o país continua de tanga!! E o 'dieta' implementada é para continuar. O que isto nos diz é que não há dinheiro nos cofres do Estado e o povo é que tem que pagar pela má gestão que vem sendo feita desde há alguns anos para cá, nas finanças públicas. Não há dinheiro para se aumentarem as reformas, manter o ADSE, aumentarem-se os impostos ou evitar a acentuada inflacção, mas para dar de 'mamar' a senhores e empresas como a Teixeira Duarte, Somague, Arq. ' SoToumamar', Arq. 'Tomas na Rabeira', 'Luisa Flipa na Escola' (a ganhar 37.500 contos/mês) e afins, etc, não falta. E nem vou entrar em mais pormenores por que começo-me a passar cada vez que me lembro. Isto fora os investimentos em melhoramentos de aeroportos e acessos. Somos realmente um país de iluminados!! Com gente como esta a governar é que vamos para a frente! ! Viva aos governantes portugueses!! Mas o que os salva é que a maior parte dos carnei...ehh, portugueses, após o pontapé inicial no Euro, irá-se esquecer completamente de tudo isto. E passa o governo de besta a bestial, porque podemos ver o Bechkam, o Henry e o Vieri por exemplo a dar uns pontapés na bola em Portugal. Olhando globalmente para este panorama só me apetece dizer: Mas que bonito que é este nosso país...

quinta-feira, 18 de março de 2004

Boi assustou nas ruas do Funchal

"Um boi causou, ontem de manhã, perigo na via pública depois de escapar de um carro de transporte antes de entrar nas instalações do Matadouro, no Campo da Barca. "
Quando vi esta noticia, pensei logo nos pedidos e desejos de alguns camaradas deste blog, em recrutar alguns dos deputados regionais. Ainda imaginei,o velho Leonel a fugir da assembleia para dar uma malha nos donos do Reid´s, o Jaime Pai a gritar em voz alta que só limpa terrenos e sanitas, o agricultor Duarte Caldeira, que é especializado na plantação da semilha, o Padre Edgar como educador infantil etc, etc.....
Mas não, foi somente uma fuga inglória de um boi a fugir do matadouro. Num ano é o 2º que foge, algo se passa...

HAH!

Há a mulher que me ama e eu não amo.
Há as mulheres que me acamam e eu acamo.
Há a mulher que eu amo e não me ama nem acama.

Ah essa mulher!

Tu eras mais feliz, Apollinaire:
montado num obus, voavas à mulher.
Tu foste mais feliz, meu artilheiro:
tiveste amor e guerra.

Eu andei pra marinheiro,
mas pus óculos e fiquei em terra.

Upa garupa na mulher que me acama,
que a outra é contigo, coração que bem queres
sofrer pelas mulheres...

Alexandre O' Neil

Revejo-me neste poema em momentos do passado. Mas, e daí, quem não se revê? Malditos poetas que trazem de volta memórias esquecidas. E benditos sejam, por nos lembrar a não cometer os mesmos erros.

quarta-feira, 17 de março de 2004

Durão Barroso admite ter cometido alguns erros em dois anos de Governo

Digam de vossa justiça:



Foto: Arquivo Lusa




O primeiro-ministro, Durão Barroso, admitiu quarta-feira que cometeu alguns erros ao longo dos dois anos de Governo, mas defendeu que o importante é manter uma "linha de rumo" e "não mudar constantemente".

"Qualquer pessoa comete erros e eu também. Nunca tive a pretensão de acertar sempre", disse Durão Barroso, no dia em que se cumprem dois anos sobre a vitória do PSD nas eleições legislativas, de que resultou a formação do actual Governo, em coligação com o CDS-PP.

Questionado pelos jornalistas se, olhando para trás, faria tudo da mesma forma como fez nestes dois anos, o primeiro-ministro disse que há que ter em conta a informação que a cada momento existe.

O primeiro-ministro acrescentou que do ponto de vista político o essencial é "manter uma linha de rumo em função de objectivos estáveis e não mudar constantemente".

Durão Barroso recordou ainda que a legislatura deste Governo tem duas fases, sendo que na primeira impunha-se "arrumar a casa", sustentando que é isso que o Governo tem vindo a fazer e que os sacrifícios pedidos aos portugueses eram "absolutamente inevitáveis".

Hoje, adiantou Durão Barroso, "a casa no essencial está arrumada" e a segunda fase será vocacionada para "um impulso mais rigoroso ao crescimento económico".

in Lusa de 17 de Março de 2004

Felt

Banda esquecida dos anos 80. Os seus albúns foram recentemente reeditados. Uma particularidade interessante destas reedições é que não vem com faixas extras, o que é de louvar. Apenas as canções originais. Para quem gosta de canções pop de recorte clássico, com um ambiente denso a puxar para o gótico, urge descobrir. Albúns aconselhados para iniciantes: 'Ignition the seven cannons' e 'Forever breathes the lonely word'. Este último, uma verdadeira obra-prima.



Capítulo final (pelo menos da minha parte)

Esta discussão, como já disseste, não leva nada. Eu não dou o braço a torcer e tu muito menos. Ainda bem, mostra coerência. Também já reparei que neste filme sou o mau da fita. Não é fácil defender uma guerra, que insisto, deve ser combatida. Mas antes de abandonar o ringue, quero deixar claro algumas coisas.

Primeiro, eu nunca disse que a UE não é uma coisa positiva. Até estou de acordo que é benéfico. O problema é que nos grandes problemas que têm surgido não tem havido consenso geral. Foi isso que quis mostrar. Mas sou a favor de uma Europa unida e forte. E que tome alguma atitude em relação ao terrorismo.

Segundo, a utopia de que falei, não se referia à União Europeia, mas sim a um mundo que não seja um "retalho de gente". Desculpa, não acredito num mundo todo igual, em que toda a gente é boa pessoa e consciente de si e dos outros. Estou a ser realista. Desejava um mundo melhor, acredita. Tal como tu. E, meu caro amigo, quem não sonha com um mundo melhor?

Terceiro, o terrorismo não pode ser de maneira nenhuma justificado. Por muito mal que a administração americana tenha agido. Na Internet encontra-se muita gente que defende o que eu digo e melhor do que eu, já que não tenho conhecimentos suficientes para poder argumentar.

Para concluir, não se apresentaram quaisquer soluções para o mundo. Pela minha parte, vou beber um whisky, ouvir um som, pensar um bocadinho sobre o que escrevi, dormir e acordar amanhã para um novo dia, sem pensar que de um momento para outro, tudo pode desaparecer...

P.S.:"Assim, a canção "Imagine", não obstante a sua encantadora melodia, ainda custa a engolir. Nunca hei-de esquecer-me da imagem de Lennon, vestido de branco, a tocar a canção na sua enorma mansão londrina. Rodeado por tanta riqueza, frases como 'imaginem um mundo sem possessões' soaram-me um pouco azedas", MEC in Escrítica Pop.

Os meus 90 minutos...

Com toda a discussão sobre o aumento do número de deputados na ALR dos actuais 61 para os propostos 68 (julgo que só não foram propostos 69 porque seria um número demasiado exemplificativo do tipo de trabalho desempenhado por estes mártires da democracia) surgiu-me a ideia de avaliar a importância que o meu voto teve na última galeria da ALR.

Sabendo, segundo o Mapa Oficial n.º 4/2000, da Comissão Nacional de Eleições os seguintes valores para as últimas legislativas regionais:

Nº de eleitores inscritos: 209.541
Nº de eleitores votantes: 129.734
Nº de deputados: 61

Fiquei assim sabendo que cada deputado tinha na sua consciência os votos de 2.127 eleitores votantes, sendo eu um deles.
Ainda assim, fiquei curioso sobre quanto tempo um deputado aquece o seu assento na Assembleia por via do meu voto. Calculei um pouco mais:

Por dia um deputado deveria trabalhar 8 horas (AHAHAHAH, desculpem mas não me contive), descontando:
Pausas para o café e idas à casa de banho: 1 hora/dia
Elevar o nível cultural lendo jornais e revistas (A Bola, VIP, páginas de "Sociedade") : 1 hora/dia
Tempo passado a carregar envelopes brancos de conteúdo duvidoso: 1 hora/dia
Tempo passado ao telemóvel em assuntos de trabalho: 1 hora/dia
Perfazendo um total de 4 horas (efectivas??) de trabalho/dia

Considerando um deputado normal adulto médio (que conceito mais National Geographic), este tira 24 dias de férias por ano e 20 dias de baixa ou nojo, ao que se acrescem os 16 dias de tolerâncias e feriados e os 104 dias de fins de semana perfazendo assim um total de 201 dias (efectivos??) de trabalho/ano.

Ora, as contas são simples de se fazer:
1 mandato = 4 anos = 804 dias + 1 (29 de Fevereiro) = 805 dias = 3.220 horas = 193.200 minutos

Dividindo estas horas pelos eleitores votantes são 193.200 minutos/2.127 votantes = 90 minutos/votante.

Pensando bem, e tendo em conta que nesta legislatura a ALR ainda não fez nada por mim, eu vou exigir os 90 minutos a que tenho direito. Fazia-me um jeitão um deputadozito para me lavar o carro e engomar-me a roupa.

ATENÇÃO: É favor ao deputado (ou deputada) em questão enviar-me um e-mail para acertar data e hora.
PS: Não me dá jeito aos domingos à tarde.

terça-feira, 16 de março de 2004

Utopia

Eu não gosto nada de me embrulhar em posts. Normalmente o resultado final é uma grande quantidade de paleio e teoria e pouca concórdia. Parafraseando, vamos por partes.
Compreendo (e como) que em alturas destas haja muita mágoa, rancor, que tocam em ódio por não se conseguirem manifestar, e pouca capacidade de compreensão. Ainda para mais, foi mesmo aqui ao lado. Em Madrid.
Tentei fazer-te(vos) ver que, mais para além da união contra um inimigo comum está a união porque crescemos melhor juntos, venha o que vier. Se não consegues ver o espantoso que é a UNIÂO Europeia, com as suas divisões, por vários motivos, o espantoso que foi e continua a ser, ficando desampontado com as sua divisões, por isto e por aquilo, sem reparar que a união continua e mantém-se (estou a repetir-me, de propósito), então, meu amigo, acho que deves ter-te perdido na utopia. Sim aquela na qual dizes que me encontro. Eu explico-me melhor.

"You can say I'm a dreamer, But I'm not the only one". É. Sou-o, assumidamente. Deixar de o ser é para mim morrer. Entretanto fui aprendendo algumas coisas. Uma das quais é que este planeta é muito lento. Funciona muito devagar. Percebe muito devagar. Muda muito devagar. Perante este facto, ser sonhador é fazer o que há a fazer, ao nosso alcance, com muita paciência, nunca perdendo sempre a VISÂO, a IMAGEM desse sonho, ainda que, por vezes ténue. Chamam ao sonho utopia. Eu respondo que utópico é achar que não vão haver dificuldades, contratempos, chatices, empatas, mentecaptos, atrasados-mentais, prepotentes, no caminho.
É claro que perantes estes "deslizes " todos o mais normal é perder a cabeça e dizer que o sonho é utopia.
Há no presente e houveram no passado uma multidão de pessoas que podem mostrar com as suas vidas o que te estou a dizer. A algumas dessas, chamaram de génios. Há uma multidão ainda maior que te explica muito bem que o que te digo está completamente errado.

Para terminar, vou tentar deixar-te uma dúvida. Tens à tua disposição todos os meios convencionais de comunicação. Tens ainda a WWW. Fico parvo que em 15/03/2004 ainda penses que a administração americana e a al-qaeda não são pontos na mesma circunferência (que contém muitos mais pontos).

segunda-feira, 15 de março de 2004

"...digam-me

"...digam-me uma única vez em que a Europa tenha se unido para enfrentar um inimigo comum?..."

Bom de facto deves ter uma memória já enfraquecida... Ainda que possas argumentar que as duas grandes guerras do sec. XX tenham envolvido europeus contra europeus, em quevárias nações europeias (então imperialistas e) rivais uniram-se contra um inimigo comum,
A PRÓPRIA CONSTITUIÇÃO DA UNIÃO EUROPEIA é um facto único na história conhecida do mundo, que vai mais além do unir-se contra um inimigo comum para o unir-se porque juntos crescemos melhor. Algo que a quase totalidade da humanidade ainda não aprendeu. Enquanto houverem e se promoverem a existência de facções adversárias, enauqnto a humanidade não perceber que não é um retalho de gente, um 'eu presto, tu não', não se curam as ENORMES feridas que conceberam estes 'terroristas', que eu ainda estou para saber quem são - ao que parece chamam-se colectivamente al-qaeda, dizem há quase três anos os paladinos da comunicação social da CNN, sabem, aqueles que ganharam notoriedade com as emissões verde-noite há doze anos no Kuwait/Iraque, e que estavam em Mogadisciu no desembarque e campanha desastrosa dos marines americanos uns anos depois (tipo "Veja em directo,
conseguimos chegar antes deles).

Isto cansa-me imenso, há já alguns anos (desde as últimas eleições presidenciais americanas, para ser preciso). Aprendi a desligar-me deste(s) assuntos e a tomar atenção aquilo que posso fazer aqui mesmo, com as pessoas à minha volta, promovendo a minha acção consciente e o despertar da consiência dos que me rodeiam (e, de vez em quando, fazem-me o mesmo). Quanto mais gente consciente de si e dos outros houver, mais decisões correctas serão feitas em todos os campos de actividade humana.

So if you're lonely, you know I'm here waiting for you...

Sabem aquelas canções viciantes, que entram no ouvido e com as quais passamos dias a cantorolá-las? Pois é o que está acontecer com o "Take me out", o single dos Franz Ferdinand. O problema é que já está há mais de uma semana. E não há maneira de sair. Apesar de não ser bem um oto-verme, como diz o Miguel Esteves Cardoso, decidi adoptar o seu método para curar estas infecções auditivas, que consiste em contagiar o próximo, por forma a aliviar o meu sofrimento.
Portanto, agora cantem comigo,

"SO IF YOU'RE LONELY,
YOU KNOW I'M HERE WAITING FOR YOU
I'M JUST A CROSS-HAIR...

Fui ver "A paixão de Cristo" e...

...não sei o que dizer sobre o filme. Ao fim ao cabo, acho que gostei. Não sei como, mas saí de lá satisfeito com o filme. Talvez por ter sempre gostado dos filmes da Bíblia. É, deve ser por isso, pois o filme não é excepcional. Antes deste, já foram feitos muitos outros. E alguns muito bons.
Percebo a polémica em torno da violência. É doloroso de ver. Durante a cena da flagelação, tive de virar a cara não sei quantas vezes. Bem como na da crucificação. Vendo bem, de cinco em cinco minutos tinha de desviar os olhos da tela. O que não quer dizer que não tenha gostado. A minha costela sado-masoquista agradece.
Outra coisa, não sou um entendido, conheço a história, mas quanto aos pormenores, não posso dizer o mesmo. Por exemplo, o corvo que ataca um dos ladrões, sinceramente, nunca tinha ouvido falar de tal coisa. Não sei se foi invenção de Gibson, ou se está alguma coisa em relação a isto descrita na Bíblia. Estes realizadores de Hollywood, por vezes pregam-nos umas partidas.
Concluindo, depois de ter visionado o filme e ter achado que houve um pouco de exagero em tudo o que se disse, de uma coisa posso ter a certeza: fiquei com vontade de ler o Novo Testamento. Nada como ler os clássicos.

domingo, 14 de março de 2004

Os Louvores e Nomeações da semana

Caros bloguistas e amigos,

Cá estamos, novamente, para nomear os protagonistas dos ultimos acontecimentos. Antes porém (como dizia o nosso amigo Acacio Pestana), gostava de realçar uma das ultimas conquistas democráticas da região: a nossa libertação desportiva. Madeirenses de todos os cantinhos, digam, em voz alta, o que vos vai na alma: Nacional, Uniao, Camara de Lobos, Pontasolense, Machico etc... Os 3% não maritimistas, foi um grito de desespero do Areias, ele já sabe que o castelo de cartas está a parir...

Avançando sem medos , cá vão as nomeações da semana:

Melhor argumento: "A crucificação do profeta". É verdade meus amigos, o nosso conterraneo Punho & Silva, está cada vez mais em "força". Provavelmente, depois de uma troca de emails com Mel Gibson, deve ter pensado o seguinte: "Bolas, é sempre o mesmo gajo a ser crucificado, tenho de alterar isso...." Como Jesus de Nazaré está noutras bandas, a solução foi apanhar um dos seus profetas, um profeta "rosado" que lançou umas profecias que ninguem percebia...Dessa forma, o nosso Vice, além de escritor, transformou-se num argumentista de peso notavel...

Opus Gay: Mais uma vez, os nossos amigos da rua do surdo estiveram em grande. Toda as pessoas do nossa vila sabem, que o nosso bispo Teodoro "Portas da Sé", aprecia pombas brancas. Agora, lançar pombas brancas à frente da porta da sé, é realmente uma piada de mau gosto...O trio odemira, Já Sinto Serrao, o Vitinho "Copo-de-leite" Freitas e o Emanuel "Camaleão" Jardim, enfim já não sabem o que fazer, depois daquele lugar nao elegível para o parlamento europeu, estao desesperados...Oh meus amigos, a Srª Rosa está presa, mas o Jaguar ainda esta aberto...por isso podem ir descarregar as vossas magoas, porque lá ninguem leva a mal...


Men in Black: por laspo não foi referido esta nomeação em ultimos "Post". Mas não posso, nem devo deixar passar em claro, este senhor, o arbitro Emanuel. Meus amigos, este senhor esteve mui bem há 15 dias atrás...andou de capela em capela a ouvir os discurso do Dr Alberto João- que alias nunca são divulgados na comunicação social-para depois comunicar ao seu líder. Mas a verdade é esta: este senhor como assalariado do grande democrata Jaime Ramos, estava a enviar SMS do seu telemovel - pago pelo Uniao e consequentemente pelo governo regional- à IURD. Ora cá está, uma descoberta de grande importancia, o Emanuel Camara é da IURD, ele é o correspondente do Bispo da Av Roma. Aquilo dele aparecer na RTP Madeira, num programa de notavel qualidade, não passa de um truque audiovisual para captar povo às causas da nossa igreja...Pois é, povo do Porto Moniz estejam atentos a este homem, este Men in Black, ele qualquer dia está aí, a recolher os dízimos nas vossas casas...

Bom já está na hora de irmos embora, mas antes queria uma dos ultimos pensamentos das notaveis Bilhardeiras: "Perninhas abrirás, cuzinho darás e bóbó nem pensarás".

Com muita estima e elevada consideração, despeço-me a todos vós...

Aquele abraço

Matanruak

PS- Prof Marcelo, deixe-se de tretas, não vale a pena imitar, estas nomeações são nossas...

sexta-feira, 12 de março de 2004

Denuncia!

Se alguém quiser denunciar alguma coisa que se passe nesta santa terra pode fazê-lo anonimamente utilizando este formulário no site da Tribuna da Madeira.

Quero ver esse jornalismo de investigação a trabalhar.

Consequências...

Sem querer ser chato ou maçador, vou agora eu falar do atentado terrorista em Madrid, ou não fosse este o caso que domina a actualidade.
Nós, povo europeu (salvo algumas excepções), apoiámos a cruzada neo-nazi do Sr. Bush no Médio Oriente, nomeadamente na invasão do Iraque. Invadiu-se um país soberano com a desculpa que neste existiriam armas de destruição maciça, quando os observadores da ONU (no final já com total acesso às infraestruturas iraquianas) informavam que nada encontraram que suportasse tal afirmação. Mesmo assim o desequilibrado presidente americano levou a sua avante. E nós, na pele de carneiros, seguimos e apoiámos sem hesitar e/ou questionar. Era já uma ideia mundialista: o Sr. Saddam Hussein de repente era o culpado de todo o terrorismo no Médio Oriente.
O que eu pergunto é: se o problema são as armas de destruição maciça porque é que não se invadiram outros países que as possuem, por exemplo a Arábia Saudita?? Porque são aliados do Sr. Bush?? O Paquistão?? A própria Índia?? Enfim, para bom entendedor meia palavra basta.
O que o povo europeu não entendeu na altura é que tais atitudes teriam as suas consequências. Eu não estou a justificar de forma alguma o que se passou em Madrid. Foi duma BARBARIDADE tal que ainda hoje me revolta pensar que andam esses indíviduos à solta sem ninguém que os MUTILE e MATE (desculpem mas não consigo ser mais racional perante as imagens que já vi)!!! Ao decidirmos apoiar esta estupidez do Sr. Bush, teriamos que nos precaver contra eventuais retaliações. Porque elas iam acabar por acontecer.
Agora e tomando consciência do tipo de acções a que se propõem estes marginais, há que combatê-los sem dó nem piedade. Perante o que vi, sou quase a favor da atitude tomada há uns tempos atrás por, salvo erro, um juíz espanhol. Criou uma equipa especial e começou a 'limpar o sebo' aos terroristas da ETA pela calada. Na altura que se viram eles como os perseguidos, sendo eles os aterrorizados, acabaram-se os actos terroristas. Só proclamavam por protecção e justiça. Quando vestimos a pele de cordeiro é que sentimos o quão aterrorizante consegue ser um lobo...

Este mundo vai de mal a pior… ( ou mais um post, neste caso o meu, sobre o 11 de Março, como já é conhecido)

Mais um ataque terrorista. Desta vez aqui ao lado, em Madrid. Cento e tal mortos e não sei quantos mais feridos. Horrível. Podia ter sido em Portugal. Estou assustado. Que monstros são estes que não olham a meios para mostrar os seus ideais? Que não dão valor nenhum às preciosas vidas que roubam? Sinceramente, não compreendo. Não é possível dar tréguas a este tipo de gente. Elas não conhecem essa palavra. Não se importam. É preciso continuar a combater:

-Mr. Bush, helpppppppppppppp…

quinta-feira, 11 de março de 2004

"Os comboios da morte" by Bin Laden?????

Será o início do fim? Uma bombinha aqui, uma bombinha ali. Depois vem a resposta. Mas acho que todos nós temos uma quota parte de culpa nisto ( quando digo nós, estou a falar dos governos ). Fomos nós que os pusemos lá.
Se realmente se provar que foram os mesmos Bins Ladens do 11 de Setembro ou os seus amigos, que fizeram esta brincadeira de mau gosto, então vai haver muita mudança, pois sou da opinião de que não deveria ter ido nenhum português, nem nenhum espanhol, nem.... (...)... para o iraque.
Aliás, atrevo-me a dizer que pelo menos esse é o sentimento ibérico.

O senhor José Maria Aznar, após ter feito um excelente trabalho na luta contra o terrorismo (at home), eliminando uma grande parte da ETA, tornasse num “José Maria Asno”, pois a força e determinação que mostrou ao mundo, estando ao lado dos States, só lhe vão trazer muitos problemas. Aliás, acho que já começaram hoje.

Esperemos que ninguém se lembre que existe “uma província espanhola” chamada Portugal, governada por um tal de “Durão bUrroso”, que também achou fundamental, estreitar os laços com o tio Sam. Sobretudo quando se avizinha uma época festiva como Euro 2004.

Felizes de nós que estamos nesta, ainda pérola do Atlântico, que ainda não tem (digo eu), um franchising Alcaedense, a não ser uns aspirantes a Bins Ladens que de quando em vez vão aparecendo nos casos do dia.

Os meus mais sinceros sentimentos de solidariedade pelo povo espanhol que sofreu hoje uma grande facada bem no centro do seu coração.

Onde traças a tua fronteira?

Depois de ter acordado a televisionar mais um fatídico atentado terrorista, embrenhei-me num pensamento profundo tentando perceber o que é que pode levar alguém a praticar um acto horrendo daqueles...

Atenção! Eu não sinto qualquer pingo de respeito ou compreensão pelas pessoas (ou serão animais?) nem pelas causas que eventualmente estejam na génese destes atentados!

... e descobri que algo muito mais assustador. Apercebi-me que nos nossos dias as armas de destruição em massa não necessitam de conter ogivas nucleares nem biológicas. A arma mais poderosa encontra-se dentro da mente de cada ser humano. Uma crença, uma fé, uma determinação é capaz de autênticos genocídios.

E, quanto a mim, foi este o erro da coligação na 2ª guerra do Iraque, por revirarem todas as pedras procurando algo físico quando o verdadeiro armamento encontrava-se (e encontra-se) profundamente enraízado na cultura e na vivência de um povo.

Acho que nunca irei compreender o motivo destes actos. De qualquer modo verifiquei que qualquer povo, qualquer cultura tem o seu ponto de ruptura e, existe uma fronteira que, sendo ultrapassada, pode levar qualquer indivíduo a cometer uma atrocidade e sacrificar-se em prol da sua fé, crença ou cultura.

Então, a questão que cada um tem que colocar a si próprio será:
Onde traças a tua fronteira?

quarta-feira, 10 de março de 2004

Shame on you, tripeiros!!!

Penso que qualquer bom português que ontem estivesse a ver o jogo Man. United - F. C. P queria que o Porto ganhasse. Admito ainda que no livre que deu origem ao golo e à passagem aos quartos de final que o meu coração só tinha uma cor: “azul e branco”. E que explodi de alegria quando vi o golo e sofri naqueles últimos minutos, em que o maldito árbitro teimava em não apitar para o fim da partida. Agora o que não admito é ter visto numa reportagem a propósito da vitória, alguns adeptos do F. C. P a insultar o Benfica. Já não é a primeira vez, nem, infelizmente, será a última, mas já chega. Será que não podem festejar sem insultar as outras equipas? Será que a vitória não lhes é suficiente, que ainda têm de deitar abaixo as equipas rivais? E que adeptos são estes que preferem falar das outras equipas a celebrar o sucesso da sua?
Nem o Benfica, nem outra equipa qualquer deveria ser chamado para ali - e muito menos daquela maneira – pois a festa era do F. C. P. e do português que tem orgulho de o ser. E isso é suficiente. Mas pelos vistos, nem toda a gente pensa assim…

Pois é...

F.C.Porto "compra" passagem para os 1/4 final da Liga dos Campeões... no Supermercado!

terça-feira, 9 de março de 2004

Anos 70, outra vez?



Bowie e Iggy Pop, em Julho, ao vivo em Lisboa. Para que a santíssima trindade do rock do principio dos anos 70 estivesse completa só faltaria Lou Reed. Será esse o nome que falta para fechar o festival? Deus queira que sim.

domingo, 7 de março de 2004

ANIVERSÁRIOS - a vida de outro prisma

Mais um sábado, mais uma festa de aniversário, mais uma vez me dou conta que o tempo não pára!

Pois é, o relógio avança como se tivesse foguetes nos pés, e nós temos que acompanhá-lo quer queiramos ou não.

Estas festas de aniversário deixam-me feliz obviamente, pois estamos a comemorar a vida dos nossos amigos.... mas dá-me uma sensação de espectador, como que se o tempo só passasse por eles e não por mim.

Daqui a relativamente pouco tempo, chegará a minha vez. Embora goste sempre da idade que tenho, pois vivi sempre aquilo que tinha de viver em cada fase da minha vida, gostaria que o tempo abrandasse um pouco. Tenho a sensação que os dias são cada vez mais curtos, como que se de uma passagem infinita para o Inverno se tratasse. Uma passagem sem volta. Mas o inverno não é necessariamente mau. Pode ser bem bom e só depende de nós.

Com o inverno, vem um tempo mais fresco, o que é muito bom, pois pensamos melhor e se calhar tomamos melhores decisões, ‘qui sá’, vitais para o nosso sucesso como seres humanos.

Com o inverno, vêm os cobertores, que ajudam a derreter o gelo, mesmo o mais difícil. Para quem não sabe, existe quem consiga criar gelo em pleno verão, e sem ajuda de gases raros dentro de recipientes especiais, com uma ajudinha eléctrica.

Mas chega de metáforas e analogias.
Há que ser frontal e dizer:

Vivam a vida o melhor que puderem. Não percam tempo com falsidades e hipocrisias. Não percam um segundo que seja com falsos amores. Eu detesto a expressão “Cara-metade”, mas podem crer que existe uma para todos vós.
Sobretudo, não se iludam a vós próprios. Sim, eu sei que é mais fácil viver no mundo dos sonhos, mas é que, quando chega, o nosso Sábado ( festa de aniversário ), vemos que, o sonho não é tão cor-de-rosa como acreditávamos que era.

--Cenas dos próximos capitulos--
Comentário a:
Scolari – “ Eu acredgito soubritúdo, qui àsz grandgis vitóriasz, si alcançam dgia a dgia”

sexta-feira, 5 de março de 2004

E não é que está a chegar a hora mais esperada da semana…

…e para hoje, logo depois de sair do trabalho, temos o seguinte programa:

- Yoga
- Jantar com amigos nesse mítico restaurante: A Floresta
- Copos na tasca do Careca
- Copos no Bairro Alto
- Copos no Incógnito
- Cachupa (dependendo esta da quantidade de copos)
- Dormir…talvez.

Não é muito variado, pois não? Não, mas não importa. É claro, este programa não é para cumprir à risca, dá apenas umas orientações, o que dá jeito para não nos perdermos… And what about you?
Bom fim de semana.

Depois das festas

Caros bloguistas, amigos, gente decente (maritimistas inclusivé):

Depois de alguma ausencia, cá estou de volta nesta tribuna de conbibio. Hoje vou deixar algumas sugestões, de prémios a individualidades que durante a semana tiveram um protagonismo relevante e positivo.

Vamos começar pelo Norte: tenho de dar os parabens ao Prof primário Avelino Ferreira Torres, pelo seu discurso, bem elaborado, liguisticamente preceptivel, com um vocabulario bem rico. Recomendo a este senhor, editar um livro sobre como se fala em bom português. Alias, se este senhor, associar-se a Paula Bobone, poderiam lançar o " O Social, O Politicamente e o Desporto em Portugal Português", não esquecendo é claro a Engª financeira da administração pública;

- Dou os parabéns ao nosso líder da oposição "Já Sinto o Serrão", por ter defendido os interesses regionais, na colocação de pessoas de cá nas listas europeias. Posição do membro do PS-Madeira - o 1º lugar não elegível.

- O nosso bispo está indignado com a presença de uma senhora, com pouca roupa no desfile de caranaval. Realmente o senhor até têm razão, então não é que senhora poderia-se constipar a provocar uma avalanche de pessoas no hospital. Já está encontrado o proximo Secretario dos Assuntos Socias. assim sendo, o proximo governo regional, vai ter um duo imparavel: o Borboleta e o Portas da Sé;

Despeço-me desejando a todos vos um bm fds e que haja vinho, cerveja e muito mais em quantidades aceitáveis.

aquele abraço

Matanruak

Fotografia

Algumas fotos do meu curso de fotografia. Em princípio farão parte de uma exposição da CML, mas não aguento em esperar até lá, já que também não existe a certeza da realização dessa exposição. Tive de as digitalizar e de reduzir o tamanho, pelo que a qualidade não é a melhor.

quinta-feira, 4 de março de 2004

Balanço de um ano de Yoga

Comecei a fazer Yoga há um ano atrás. Foi a curiosidade e a vontade de experimentar coisas diferentes que me levou a praticar Yoga. Actualmente, é a constante busca da perfeição dos ‘ásanas’ (exercícios físicos) que me mantêm lá. Quero continuar a melhorar os exercícios que faço. Sinto que já fiz uma grande evolução até agora. Basta ver que nos primeiros tempos, transpirava por todos os poros, ficando muitas vezes completamente alagado. Coisa que me parecia impossível numa prática como o Yoga. Mas o facto é que agora só muito de vez em quando é que transpiro e sinto que o meu corpo responde mais facilmente ao que lhe é exigido. Esta é a parte positiva. Por outro lado, confesso que tenho sentido grandes dúvidas em continuar ou não no Yoga, pois a prática exige algum sacrifício, que não estou disposto a dar. Afinal, de contas, sou um grande amante dos prazeres da vida, nomeadamente, da comida e da bebida. Um fim de semana de excessos e a aula seguinte de Yoga deixa-me de rastos. Outra grande razão, para muitas das minhas dúvidas, é a parte espiritual. Aborrece-me. A meditação e os "mantras" (as cantorias que se fazem) não me dizem nada. E por vezes são razão mais que suficiente para faltar às aulas.
Ao fim de um ano, acho que a evolução na parte física consegue fazer com que o balanço seja positivo, mas não sei por quanto mais tempo vou continuar a praticar Yoga. Talvez continue para sempre. Talvez pare daqui a dias. Para já não sei. A única coisa que sei, neste momento, é que este mês, o ginásio já está pago.

O vício do mamanço


Penso que alguns de vós já devem ter conhecimento do diferendo que opõe a Câmara Municipal de Braga e o arquitecto Souto Moura, o mentor do projecto do novo Estádio Municipal de Braga.
Para os que não estão a par, aqui vai:
O Sr. Arquitecto Souto Moura celebrou um contrato com a autarquia de Braga que estipulava os seus honorários nuns 'míseros' 3,5 milhões de Euros para a realização do projecto do Estádio Municipal de Braga. Após a sua construção, o dito 'artista' pediu uma rectificação nos seus honorários...para mais, claro está!! Isto apesar de o seu contrato estipular que o valor dos honorários não seria indexado ao valor total da obra, razão pela qual a Câmara deu carta branca ao arquitecto para pedir o montante que entendesse (os tais 3,5 milhões de €).
Até aqui tudo bem. Mas o cerne da questão está no que figura no nosso querido Diário da República (projecto lei) para estes casos: um projecto com estes valores está sujeito a concurso público INTERNACIONAL. Em contrariedade, a autarquia adjudicou directamente ao dito arquitecto alegando 'motivos de aptidão técnica ou artística'. Ora para isso a Câmara teria que provar que o Sr. Souto Moura era a única pessoa no MUNDO capaz de realizar o dito projecto, o que, não tirando o mérito à pessoa em questão, me deixa imensas dúvidas.
Relatada a história, vou tomar a liberdade de traduzir tudo isto para um português mais 'corrente':
A Câmara de Braga decidiu dar de 'mamar' ao Sr. Arquitecto Souto Moura. Aliás chegou ao ponto de deixar este Sr. estipular QUANTO é que queria 'mamar'!! Agora e visto que o estádio em questão foi na realidade muito mais caro que o inicialmente previsto, (sofreu o maior derrapanço orçamental de todos - de 31 milhões passou para 71 milhões de Euros, ou não fosse uma obra à portuguesa) quer ganhar ainda mais!! Alguém devia avisá-lo para ter cuidado: é que de tanto querer 'mamar' pode-se engasgar...
E é assim que se constata (cada vez mais) que no nosso país vigora o vício do mamanço...quanto mais têm mais querem. É como diz aqui um colega de trabalho: "O tempo verbal é no gerúndio: MAMANDO!!"

Música....

Ainda agora estava a ouvir o último single dos Outkast: Hey ya. Gosto bastante desta música e lembrei-me do camarada 'Empre'Dário que é um dos que tb curte esta música. Dário: HEY YA!!

DAH...

Um dia passo-me. Uma pessoa diz que não sabe, ou diz uma asneira, e vem logo um engraçadinho e atira-nos logo com um "Dah.." à cara. Até agora não tenho dado muita atenção, mas já começo a ficar farto. A expressão irrita-me. Apetece-me logo dar um par de estalos na pessoa que o diz. E nem é por ser eu o gozado. Não gosto mesmo de ouvir a expressão, quer seja dirigida a mim, ou outra pessoa qualquer. Fico logo a odiar a pessoa que a diz. É claro, é um ódio momentâneo, mas é ódio. E isso não é bom.

segunda-feira, 1 de março de 2004

Oscares

Ainda vi um pouco da cerimónia dos Óscares até às 3 da manhã. Estava a gostar e queria ver mais. Infelizmente, também tinha que acordar cedo para trabalhar, ou pelo menos fingir. Por isso, pergunto, porque raio insistem em realizar a cerimónia num dia útil da semana? Grrrrrrrr...

Difícil de contentar

Se por um lado fiquei contente pelo Sean Penn ter ganho o Oscar de melhor actor, pois é dos meus actores preferidos, por outro, fiquei triste pelo Bill Murray o ter perdido. Gostei muito do "Lost in Translation", principalmente da personagem interpretada pelo Bill Murray. Revi-me nele daqui a 20 anos. Uma espécie de palhaço triste. Um bocado acomodado à vida. O que, diga-se, não é necessáriamente mau.