sexta-feira, 30 de janeiro de 2004

O blog serve para isto também...

...portanto...

Funny how I find myself
In love with you
If I could buy my reasoning
I would pay to lose
One half won't do
I've asked myself how much do you
Commit yourself
It's my life
Don't you forget
It's my life
It never ends
Funny how I blind myself
I never knew
If I was sometimes played upon
Afraid to lose
I would tell myself what good you do
Convince myself
It's my life
Don't you forget
It's my life
It never ends
I would ask myself how much do you
Commit yourself
I
t's my life
Don't you forget
Caught in the crowd
It never ends

TALK, TALK, It's my life

quinta-feira, 29 de janeiro de 2004

MEDO DE MUDAR?

Comentando algumas obras em prol do "Pugresse" (escreve-se assim porque o outro, o "Progresso" cultural ainda está a anos luz da média europeia) da nossa tão abastada Ilha da Madeira (sim porque nem as empresas de construção civil nem a empresa de AL "Ramos" Katron podem parar), dei por mim num debate com a mãe da minha mãe (considerada por muitos duas vezes mãe) sobre o estado da política regional. Num lampejo de lucidez que me enregelou a espinha, diz-me ela com toda a convicção:
"Não vale a pena mudar de governo porque pelo menos estes já estão cheios, ao passo que se vierem outros vão ter que começar a roubar do zero outra vez!"

Ainda atordoado pela aparente sobriedade de tais afirmações acometi-me num silêncio introspectivo enquanto desviava o meu bólide pelas estradas com troços em obras (ou serão obras com troços em estrada?).

Mais tarde nesse dia percebi o erro de raciocínio da mãe da minha mãe.
Acomodarmo-nos àquela situação é como não lavar a loiça porque vai ser suja outra vez ao jantar, ou não trocar de roupa interior porque a nova sujar-se-á novamente. Ela (a mãe da minha mãe) não contemplou um pequeno pormenor, talvez por senilidade, talvez por comodismo, talvez por desinteresse.
Esse pormenor é o sal da vida, é o prazer de jantar num prato limpo, é o prazer de vestir uma roupa fresca, é o sentimento de esperança de que alguém saiba fazer mais e melhor.
Finalmente, concluí que a vida sem referências é muito perigosa e que pode nos levar a situações de monopólio de emoções, de sensações, de poder e ao MEDO, ao profundo MEDO DE MUDAR...

terça-feira, 27 de janeiro de 2004

Melhor comentário homófobo do fim de semana

Foi da parte do meu tio H., a propósito da pedofilia nos Açores:

"Eu já estava à espera. Esses açorianos são todos uns paneleiros. Basta ver como agarram na nossa mão quando cumprimentam uma pessoa. Vêm com a mão levezinha, agarram e não largam..."

Número 1000

Chegamos ao Visitante Nº


E ainda estamos cá para contar (e continuar) a história...


Parabéns a todos!

domingo, 25 de janeiro de 2004

sexta-feira, 23 de janeiro de 2004

A Funcionária Pública


Como já vem sendo hábito, este governo continua a fazer das suas no que ao funcionalismo público diz respeito.
A última medida que está a tentar implementar, e que já é do conhecimento de todos, diz respeito aos aumentos na Função Pública. Estes aumentos (a palavra apropriada seria esmolas) rondam os 2%, se exceptuarmos os funcionários que auferem um salário superior aos 1000€. Para estes o governo reserva-lhes um aumento de....0%!! NADA!! Isto tudo, porque as finanças do país não suportam tais despesas. Sobre isto já dissertei a semana passada. Porém, e como se já não bastassem os chulos dos eurodeputados, agora vêm os amigos dos ministros.
Soube que o nosso ministro dos Assuntos Parlamentares Marques Mendes (sim, aquele cujo secretário de Estado é o 'chulo' do Carlos Costa Neves) nomeou como assessora do seu ministério uma advogada sua amiga. Tudo bem, nada de especial quanto a isto (somos o país das cunhas). Agora atente-se bem à módica quantia mensal que é auferida pela Srª advogada: 3073€ + IVA!!! Líquidos!! O gabinete do Sr. Ministro já veio a público esclarecer que o seu trabalho técnico justificava o ganho. O que ninguém soube esclarecer foi que trabalho tão valioso era este. Ainda para mais que o salário de um funcionário da administração pública com a categoria da Srª. Advogada é entre 1893€ e 2792,97€ (para um funcionário com já 'alguns' anos de serviço). Esta Srª. Drª. Clara Regina Machado da Costa bate assim um recorde e cota-se como a funcionária pública com um dos mais elevados (senão o mais elevado) ordenados em tão escasso tempo de serviço (1 ano).
É como alguém já disse: uns são filhos (ou filhas) e outros são enteados (enteadas). Ou em linguagem governamental: uns são chernes e linguados e outros são sardinhas e carapaus.
Mais uma para constatar (a palavra apropriada seria confirmar, mas corria o risco de ser rotulada como politicamente incorrecta) que no nosso país prevalece a prática da corrupção e das cunhas, mesmo nas barbas de toda a gente. Sem qualquer tipo de conotação, caros caramadas barbudos.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2004

Sotaque madeirense

Há muitos anos, na Madeira, dizia um professor do ensino básico para os seus alunos:

-Menines, escreve-se com "o" no fim!!

terça-feira, 20 de janeiro de 2004

O Natal é quando um h...

É Natale, é Natale

Matança do porque.
Noite do mercade.
Brauas de mele.
Meissa do parte.
(Outra meissa) Meissa do gualo.
Carne de vinhe e alhes.
Canja de galeinha.
Uis boles de mele.
Iluminaçãoe nas reuas.
Montage do pinheirinhe.
Eis cabreinhas.
A lapeinha.
Eis lampareinas.
Uis presêntes.
Uis ausentes que venhem aguora.
Eis prendas.
Buzies.
O Menine.
Eis vaquinhas.
O burre. O Joséa e a Mareia.
Anjes, arcanjes e uis Rei Magues.
A genebra. O aneiz.
Eis bedeiras.
Enfim(e), comuere e bebere.
Estepilha, come eu goste do Natale!


PS: Aqui o bosques fez um post muito pertinente e cheio de razão (na minha humilde opinião); descontem-se os §@£@\/&0[$.
Agora, quem foi o eurodeputado que tirou as bilhardices que ficavam após os posts?

sexta-feira, 16 de janeiro de 2004

Eurodeputados, chulos de um país!!


Hoje tomei conhecimento de uma realidade que me revoltou de tal maneira, que só me apetecia bater num destes individuos com um gato morto e só parar quanto esse gato miasse!! E creio que quando explicar o porquê da questão, estarão todos de acordo comigo.
Dia 26 do mês corrente vai a votos no Conselho Europeu o novo estatuto dos eurodeputados que pretende que os salários dos mesmos sejam uniformes e indexados ao salário de um juiz do Tribunal Europeu. Ou seja, os nossos 'queridos' eurodeputados terão um aumento no vencimento de 125% (ganharão cerca de 9053€/mês)!! Passam a ganhar mais que o Presidente da Républica!!
Mas pior que isto foram as declarações destes 'chulos', que passo a citar:
● Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Carlos Costa Neves: "Para funções iguais, salário igual." - ESTE CHULO, FILHO DA P*#$ AINDA TEM A LATA DE DIZER ISTO!! E QUE TAL EQUIPARAR OS SALÁRIOS NACIONAIS AOS EUROPEUS?? PARA FUNÇÕES IGUAIS, SALÁRIOS IGUAIS, MEU GRANDE ANIMAL!!
● Eurodeputado socialista, Paulo Casaca: "O salário de um eurodeputado português está ao nível de um contínuo na UE" - ESTE CARA DE C$""#%$#&!!! O salário dele está ao nível de um contínuo. ANDA PARA PORTUGAL LIMPAR LATRINAS SEU CAVALO E HÁS-DE VER O K TE CAI AO FIM DO MÊS NA CONTA!! SE VÃO SER OS TEUS 4200€/MÊS ACTUAIS OU OS 9053€/MÊS QUE VAIS PASSAR A GANHAR!!

Hoje ouvi o nosso Primeiro a dizer que um trabalhador da função pública que ganhasse 1000€/mês ou mais, não iria ser aumentado (pela 2º ano consecutivo) porque as finanças do país não suportam esse aumento. MAS PARA PAGAR ESTES CHULOS HÁ DINHEIRO, NÃO HÁ?? UNS SÃO CHERNES OUTROS SÃO SARDINHAS OU CARAPAUS!!
Ainda bem que não sou trabalhador da função pública. Senão ia ter que libertar a minha frustração num chulo destes!!

quarta-feira, 7 de janeiro de 2004

O País está melhor!!



Foi esta a frase que ouvi há dias num jantar e que tanta controvérsia gerou. Vou agora acrescentar umas achegas ao que já foi dito.

A realidade há tanto apregoada pelos Sindicatos, foi finalmente reconhecida pelo Governo: a taxa real de crescimento dos salários em 2003 foi negativa. E o mesmo sucederá em 2004. Trocando isto por miúdos afigura-se o seguinte: perdemos poder de compra em 2003 e continuaremos a perder em 2004!
Sabe-se tb que o crescimento dos salários foi inferior ao crescimento da produtividade. Não que isso esteja errado, mas continuamente até 2007…
Soube também que o crescimento desta mesma produtividade anda próximo dos 0% desde 2001. Crescimento esse que era de 2% em 2000. Se mal estava, mal continuou.

Uma revisão do Banco de Portugal previu que o crescimento da economia portuguesa se vai quedar pelos 0,75%. E o mesmo já previu um crescimento para 2005 abaixo da média europeia, ou seja serão 4 anos que a economia portuguesa crescerá menos que a média europeia. Agora atente-se às justificações dadas pelo Banco de Portugal para o ano de 2003 e que passo a citar “[…]uma recessão em 2003 mais forte do que previsto,[…] e por uma revisão ligeira em baixa da procura externa relevante para a economia portuguesa.”

Agora pergunto: porque será que se verificaram estas duas realidades ?? Será que o discurso maravilha efectuado pelos actuais homens (e mulheres) do poder na altura que tomaram posse não terá a sua quota parte de culpa??

O País está melhor. Se isto é melhor, que não venha o pior.

terça-feira, 6 de janeiro de 2004

Biografia de Max

Sem querer acabei encontrando a resposta a uma pergunta que me perseguia à uns meses:

Qual o ano da morte do nosso Maximiano de Sousa?

Maximiano de Sousa

sábado, 3 de janeiro de 2004

Fim de ano et al

Este fim de ano, este meu fim de ano, foi incaracterístico. Dores de cabeça fizeram-me ver o fogo em casa. Nunca, NUNCA, o tinha visto em casa. Agora que o fiz, não quero repeti-lo. Costumo vê-lo do bom sucesso. A minha casa é em S. Pedro. O fogo é imponente, mas o sítio, a perspectiva, importam muito no efeito que este exerce em quem o vê.
Por outro lado, estando quase no centro da cidade, ouvi, segundos antes de começar o espectáculo, umas multidões a exultar (HEEEEEE!!!), um som que vinha de algures da cidade, de quem olhava para o céu e que, para qualquer bom entendedor, queria dizer "Olá, feliz ano novo", no meio de um abraço.
Portanto, o fogo foi, do meu ponto de vista (strictu sensu) menos intenso; o factor humano foi comovente. Comovente porque ouvia, sentia, um conjunto completamente heterogéneo de pessoas a festejar, com alegria (e reparem bem nesta palavra - alegria) um dia. Um dia! Não uma vitória eleitoral, não um jogo de futebol, não uma festa religiosa - em qualquer destes casos há sempre excluídos. Mas um dia! Um dia comum, tão comum quanto o Inverno ou Fevereiro, ou quanto o 24 de Julho. Todos estes acontecem uma vez por ano.
Uau!

sexta-feira, 2 de janeiro de 2004

Uma das vantagens de ter a mãe a trabalhar numa companhia aérea, é o facto de geralmente ir sentado nos melhores lugares, aqueles em que não vai mais ninguém ao lado. Agora digam lá, em que lugar é que acham que eu deitei-me?

Finalmente, tirei o smoking do armário!!

Uma das coisas que mais gosto na noite de fim de ano, é o facto de (quase) toda a gente sair com os seus fatos e vestidos de gala, mesmo que seja apenas para andar na rua, ideia que é muito mais atraente do que ir para as discotecas. É uma noite de gente bonita e bem vestida. As mulheres ficam ainda mais belas do que já costumam ser e os homens, nesta noite, estão quase ao nível delas. Enfim, era como deviam ser todas as noites.

Fim de ano na Madeira

O melhor que alguma vez tive, em termos pirotécnicos. O coração estremeceu e as lágrimas soltaram-se. Ainda ontem, quando vi as imagens na TV, foi difícil não me emocionar. A passagem de ano na Madeira já era obrigatório. Agora, é dever sagrado.

quinta-feira, 1 de janeiro de 2004

Ao contrário do que toda a gente diz, não percebo onde está a sorte de pisar uma bosta de merda no dia de ano novo. Cheira mal, é nojento, os carros dos amigos ficam sujos - desculpem lá - e as miúdas afastam-se e com razão. Pergunto agora, onde está a sorte disto?