sexta-feira, 14 de novembro de 2003

Receitas da avó - Carne Vinho e Alhos

Mais uma das receitas de minha avó. Carne de vinho e alhos é um prato típico madeirense muito consumido por alturas do Natal. Mas tal como o Natal, a carne vinho e alhos come-se quando o homem quiser. E eu ainda esta semana, comi e comi muito. É claro, por ser um prato muito pesado, não convém exagerar. Talvez por isso, é que é costume comer apenas no Natal, época de exageros. Existem muitas receitas, com mais ou menos ingredientes, com mais ou menos tempo a marinar, mas esta para mim, será sempre a melhor.
Primeiro, os ingredientes. Geralmente, é feito em grandes quantidades. Pelo que para uma mesa de 10 pessoas, dois kilos de carne porco, é suficiente. Eu prefiro e minha avó aconselha, carne magra, sem qualquer tipo de gordura e sem ossos. Mas tenho visto na maior parte das 'casas', abusarem da gordura e dos ossos. Fica ao critério de cada um. Como o próprio nome do prato indica, os outros dois ingredientes fundamentais são o vinho branco e o alho. Os restantes ingredientes são a segurelha, folhas de louro, vinagre, sal, banha e pimenta da terra da mais picante. Por falar em pimenta, se eu apanhar o gajo que anda a roubar as pimentas da pimenteira lá de casa, vou-lhe aos cornos. Desculpem, excedi-me, mas não suporto que mexam nas minhas pimentas. Continuando, após ter-se reunido todos os ingredientes necessários, passa-se à preparação. Para tal, deita-se a carne cortada aos cubos numa púcara de barro. De seguida deita-se o alho, as folhas de louro, a pimenta e o sal sobre a carne e mistura-se muito bem. As quantidades dos ingredientes devem ser q.b., ou seja, a olho. A culinária não é uma ciência exacta, o conhecimento vem da experiência. Não me canso de dizer isto. Posto isto deitar o vinho e o vinagre. Atenção, a quantidade de vinagre não deve ultrapassar um quinto do vinho. Misturar novamente e deixar a marinar durante três dias, ou seja, não mexer durante esses três dias, para a carne tomar gosto. Ao fim dos três dias, cozer a carne de porco na mesma marinada. Depois de cozida, a tradição diz que deve ser frita em banha. O que a torna ainda mais saborosa e escusado dizer, mais gordurosa. Mas já cozida, é uma delicia e por mim, na maior parte das vezes, nem chego a fritar. Geralmente, acompanha-se com pão e vinho. Mas qualquer acompanhamento é bom, sendo o arroz um dos mais utilizados. Existem receitas que sugerem comer um gomo de laranja antes e depois deste prato para a digestão ser mais fácil. Pois eu digo, não façam isso. Isso é para 'meninas'. O objectivo deste prato é mesmo encher a pança. Fartem-se.

4 comentários:

Anónimo disse...

Fixe....
Carlos na California.

Anónimo disse...

receita 100% Madeirense
Cumprimentos,
O ladrão de pimentas.

Sara disse...

Em algum momento, eu acho que eu tenho que tentar essas receitas, porque a verdade é que seria algo novo e eu gosto de sempre experimentar coisas novas quando eu comer em a figueira rubaiyat

Anónimo disse...

Muito boa esta receita! Gostei!